quinta-feira, 28 de agosto de 2008

Vende-se um rim

Pode parecer inocente e até prático: todo mundo baixa filmes, seriados e música pela internet. Claro, os DVDs, os boxes com as temporadas e os CDs mesmo estão os olhos da cara (e só Deus sabe o quanto custa um olho!). Se fossemos pagar pelo original de cada coisinha que quiséssemos assistir ou ouvir, precisaríamos vender também a perna, o braço, um rim... Mas e as pessoas que trabalharam tanto para a produção do nosso entretenimento, como ficam?
Muitas pessoas são envolvidas nessa produção. Desde o Hugh Laurie (House md) até o Seu Zé, faxineiro do estúdio. Com tantos adeptos da pirataria, eles recebem muito menos do que receberiam. Claro que eles não ficam no prejuízo, pois ainda existem pessoas que não se importam de vender rim para se divertir dentro da lei. Mas que é uma tremenda sacanagem, é!
A solução? Algo como um pacote que pagamos com uma certa regularidade (todo mês? a cada trimestre?) que nos dá o direito de baixar os filmes e músicas que quiséssemos! Seria mais justo.

(Sim, eu baixo músicas e peço ao meu cunhado que baixe filmes. Ainda tenho muito carinho pelo meu rim.)

Um comentário:

Giuliana disse...

ahuahuahaa
Gostei muito do seu post, Ma, parabéns!

beijooocas

 
BlogBlogs.Com.Br