quarta-feira, 29 de outubro de 2008

Brincando de ser adulto

Quando eu tinha 12 anos, brincava de Barbie. Ia nas festinhas das amigas, mas ficava jogando pebolim. Me apaixonava, sim, mas se o garoto se aproximasse, eu saía correndo. Muitas meninas de minha idade, na época, já pensavam em ficar, ficavam correndo atrás dos garotos. Eu tinha uma certa invejinha delas, já que elas já sabiam se comportar de maneira tão... adulta. Hoje, não tenho inveja, tenho pena. Encurtaram sua infância. Hoje tenho 20 anos e na minha época, quem tinha 12, 13 anos era considerado pré-adolescente. Fico chocada de ver que hoje pessoas de 12 anos já são consideradas adolescentes - e os pré-adolescentes mal completaram 10 anos de vida! Já vi gerotinhas de oito anos dizendo que beijaram Fulano, Betinho e Siclano.
Não acho que o amor tenha idade para acontecer - tem gente que se conheceu aos cinco anos de idade, começaram a namorar depois de muitos anos e hoje estão casados... Sempre se amaram! Mas não acredito que quem tem 12 anos realmente tenha idéia do que o verdadeiro amor representa - confundem muito amor com paixão. Podem ver: basta uma garotinha sentir o coração acelerado que diz "Eu amo ele!". Para mim, crianças e pré-adolescentes (e pessoas de 12 anos para mim estão inclusas nesse grupo) deveriam aproveitar o que restou de infância em suas vidas. Para que a pressa? Temos a vida inteira para sermos adultos.

2 comentários:

Talita S. disse...

InfÇncia não devia acabar.Melhor,não acaba.Depende de cada um conservar dentro de si :)

meme pra você! beijo

Silier Borges disse...

Excelente postagem. Poucos tem a coragem - ou a capacidade - de postar seriamente sobre conteúdos de tamanha singeleza.

Um abraço.

 
BlogBlogs.Com.Br